Tratamentos

Clareamento dental

O tratamento clareador devolve a cor natural dos dentes ou algumas tonalidades mais claras dependendo do tipo de dente e sua coloração. Dentes com restaurações após o tratamento podem dar diferença da cor, tendo em vista que as resinas compostas não serão clareadas, precisando a troca das mesmas para um melhor resultado estético. Quando removemos alguns tipos de manchas dos dentes, voltam a sua cor natural, que já é um resultado positivo. Os resultados são individuais e não se comparam com de outras pessoas. Adolescentes têm melhores resultados pois com o passar do tempo os dentes se amarelam como um processo natural do envelhecimento.

Tipos de Manchas


Manchas extrínsecas: Adesão direta dos pigmentos à superfície dental do esmalte ou na película que o recobre
  • Placa dental;
  • Película adquirida (áspera);
  • Cálculo dental (tártaro);
  • Pigmentos alimentares (café,chá, vinho, refrigerantes);
  • Cigarro;
  • Clorexidina (enxaguatórios)
  • Restaurações pigmentadas.

Manchas intrínsecas: São mais complicadas, podem ser mais profundas em nível da dentina, podendo ser congênitas ou adquiridas. Raramente removidas com clareamento: precisam ser mascaradas por restauração ou facetas estéticas.
  • Dentinogênese imperfeita;
  • Fluorose;
  • Uso de tetraciclina durante formação dental;
  • Traumatismos;
  • Envelhecimento;
  • Tratamento de canal.

Consulta de Condicionamento Infantil

A consulta de condicionamento é um diferencial no atendimento de crianças menores de três anos, que infelizmente ainda não entendem porque estão indo ao dentista, temem o desconhecido, e outras também, que já vem com experiências adversas e precisam de uma atenção especial para aprenderem a se comportar diante dos procedimentos.

Todas as crianças (0-4 anos) quando passam por um período afastado do tratamento odontológico, têm dificuldade de relembrar a forma de se comportar e o que vai ser feito durante o atendimento, gerando uma desconfiança e insegurança por parte delas, pois são muito pequenas para terem esse tipo de lembrança. Para isso existe o condicionamento infantil, que auxilia no processo de adaptação, ganhando a confiança da criança para trabalhar na boca dela, sem medos e anulando experiências anteriores adversas. Em alguns casos é preciso mais de uma consulta para adquirir bons resultados na mudança comportamental planejada, em que utilizamos técnicas de PNL (programação neurolinguística).

  Lembramos sempre os pais para trazerem as crianças antes dos problemas bucais acontecerem, para desta forma conseguirmos iniciar o condicionamento infantil, juntamente com nosso programa de prevenção, acostumando as crianças com o ambiente odontológico. Além disso, ensinar o processo de higienização aos pais para que juntos conseguirmos reduzir de forma efetiva os problemas de dentes e gengivas da criançada, tornando o tratamento uma experiência agradável para os filhos e descontraída para os pais.

  A brincadeira é um meio de comunicação entre a criança e o adulto: uma forma de expressão e de linguagem para crianças que ainda não sabem se expressar. Trabalhamos com a técnica mostrar-fazer, que facilita o entendimento curioso de toda criança, desmistificando situações cotidianas novas e usando brinquedos para substituir situações reais, frente às reproduções apresentando o consultório de forma divertida, pontuando sempre os limites da criança na base da confiança.

Atendimentos a crianças menores de 3 anos (0-3)

  É importante informar aos pais que, do mesmo jeito que bebês de 0-3 anos às vezes choram para cortar a unha, para tomar banho, para trocar de roupa, para cortar o cabelo, para ir ao médico etc. também choram quando vão ao dentista. O choro na cadeira do dentista nesta idade não é sempre sinônimo de dor mas sim de "não entendo porque estou aqui", "não gosto" ou "me tirem daqui". Pode ser manha ou sono também.

  O bebê ainda não compreende direito o conceito de "causa e efeito", como "se não deixar minha mãe escovar meus dentes, o bichinho da cárie vai estragá-lo" ou "se eu não for ao dentista, posso ter problemas sérios" então ele realmente não vai conseguir entender o por quê da consulta.

  Também não vai entender o  porquê precisa ficar de boca aberta por tanto tempo! (1 minutos de boca aberta para ele é muito!). Então, é de se esperar que ele chore e, os pais não devem se preocupar,  pois não é choro de dor e, do mesmo jeito que cortar a unha de um bebê chorando não o traumatiza, cuidar dos dentes de um bebê chorando também não vai traumatizar além de ser uma necessidade.

Prevenção

Prevenir dá resultado: Saúde Bucal


Um dos períodos mais importantes para se prevenir as cáries é durante a erupção dos dentes, sejam eles “de leite” ou permanentes. No tratamento de prevenção, as crianças que ainda não tiveram cáries, devem realizar uma avaliação também, pois existem alguns dentes do fundo que têm sulcos/fissuras profundas, onde a escovação não tem total eficácia. Indicamos nestes casos a aplicação de selantes para que continuem sem cáries e os dentes fiquem ainda mais protegidos.

A prevenção baseia-se em  higienização com escova e fio dental; consumo inteligente do açúcar; aplicação do flúor com o profissional, para fortalecer os dentes, selantes e acompanhamento periódico para que seja interceptado de forma ultraconservadora qualquer problema em estágio inicial.

A prevenção inicia-se com nossa avaliação digital que amplia em alta resolução os elementos dentais e as estruturas que precisamos avaliar. o estado inicial é muito importante de ser registrado para que o paciente saiba exatamente o que deverá ser feito para recuperar sua saúde bucal.

A segunda etapa será aplicada à estética e cosmética dental para chegarmos ao resultado esperado do tratamento com sucesso e atingirmos a Terceira e última etapa, em que precisamos da colaboração dos pacientes para fazer a parte que lhes cabem, realizando a higiene correta dos trabalhos realizados, dos dentes e gengiva por meio do uso correto do fio dental e da escovação. O paciente pode retornar duas vezes ao ano para visitas periódicas, realizando apenas a limpeza profissional para manutenção do tratamento realizado.

Em função dos tratamentos preventivos realizados, estima-se que no futuro não haja mais perdas dentais, canais, Implantes, e Próteses, somente dentes naturais sadios, gerando aos nossos pacientes bem-estar e saúde Bucal para toda família.

Diário Alimentar

Mais um diferencial que trabalhamos junto com os pais, no sentido de conscientização e, para reduzir o foco do problema das cáries. Também ajuda na difícil tarefa de fazer com que seus filhos se alimentem corretamente de uma forma bem divertida e sem mistérios. Com o Diário Alimentar preenchido, podemos orientar de forma conclusiva os pais, referente ao aparecimento das cáries e outras dicas.

Aplicação de Selantes

Os selantes não invasivos, não realizam desgaste em estruturas dentais  de dentes hígidos. Se há cáries iniciais nos sulcos, o selante se torna invasivo, pois inclui a remoção do tecido cariado de forma ultraconservadora para preservar ao máximo a estrutura dental do esmalte.

Selantes são resinas fluidas fotopolimerizáveis, aplicadas na oclusal dos dentes, especificamente nos sulcos e fissuras do esmalte dental. O selante serve para preencher regiões que a escova não consegue chegar com suas cerdas e isolar do meio bucal cheio de bactérias, um local propício de cáries. 


Reabilitação dentária em casos de cárie generalizada.

Quando a boca da criança está com muita cárie nos dentes, por ser uma doença transmissível, precisamos agir rápido na remoção da cárie e colocar um material restaurador provisório que libera flúor e inativa a proliferação da cárie para os demais dentes.

O tratamento restaurador atraumático (TRA) é um tratamento alternativo muito usado para a cárie dentária. A dentina cariada desmineralizada e amolecida pelo próprio ácido da cárie é removida apenas com instrumentos manuais, sem a necessidade de  anestesia. O dente é limpo por completo  e a cavidade é preenchida com cimento de ionômero de vidro.

Nesta técnica, muito utilizada em locais por programas comunitários, reduzimos a dissipação de cárie por outros dentes do paciente, inativando o processo cariogênico. Os pacientes que não deixam o uso do motorzinho ou anestesia também são beneficiados por esta adequação do meio bucal.

Após avaliar o diário alimentar, que será entregue na outra consulta e verificarmos uma mudança real de hábitos alimentares e de higiene, poderemos continuar o tratamento na etapa restauradora.

Tratamento de canal em Dentes de leite ( Endodontia)

  O diagnóstico se inicia com a radiografia e se confirma com a parte clínica na remoção total de cárie, que quando compromete os tecidos pulpares pode modificar o Plano de Tratamento, que inicialmente era conservador para uma conduta endodôntica invasiva na região pulpar sendo a última chance de fazer com que o dente de leite permaneça na boca da criança de maneira assintomática, com a região periapical descontaminada, cumprindo sua função mastigatória e guardando espaço para a erupção posterior do dente permanente.

O tratamento endodôntico é necessário q
uando a cárie atinge em profundidade o dente, contaminando a polpa e as bactérias são disseminadas pela raiz e pelos vasos sanguíneos na região do periodonto, próximo ao dente permanente. A contaminação pulpar causa dor e inchaço do rosto, podendo formar um abcesso. Em alguns casos o paciente pode não apresentar dor, porém pode estar com lesão no ápice da raiz ou no teto da cavidade pulpar com comprometimento pela cárie, sendo apenas questão de tempo para começar a doer. Quando o paciente já apresenta sintomatologia dolorosa, dificulta o condicionamento infantil da criança e a anestesia pode pegar de forma parcial, muitas vezes sendo necessário medicar a criança antes de realizar a terapia endodôntica. 



   É de fundamental importância a terapêutica medicamentosa ministrada pelos pais, que ajudará o organismo a combater a infecção e inflamação local. No tratamento de canal, é necessário o acompanhamento radiográfico trimestral, uma vez que o material é reabsovível pela raiz.A resposta do organismo de cada criança é de um jeito, dependendo do prognóstico do caso, é necessário retratamento. 

  Os pais devem ficar atentos, pois os dentes tratados endodonticamente podem sofrer recidiva de cáries quando não é realizada a higiene adequada na região entre os dentes com o fio dental, tendo assim uma nova contaminação da polpa ou queda da restauração, piorando cada vez mais o prognóstico do caso e levando assim a sucessivos retratamentos na tentativa de manter este elemento dental com saúde até a erupção do permanente.

Tratamento Gengival Infantil

O objetivo deste tratamento é reduzir a placa bacteriana que causa a inflamação genvival, conscientizar e motivar os pacientes, e principalmente os pais, a realizarem uma higienização bucal de seus filhos, introduzindo o uso do fio dental.

O tratamento consiste de quatro sessões inicialmente;

Evidenciação de placa;

Preenchimento de mapa de higiene bucal (Cálculo % da placa);

Profilaxia;

Orientações de Higiene aos pais;

Motivação do paciente.

Tratamento para Adolescentes

A adolescência pode ser inserida na faixa que vai dos 10 aos 20 anos e é uma fase da vida em que questões sociais e comportamentais interferem muito nas escolhas que determinam a saúde.

Os adolescentes não têm hábitos alimentares saudáveis e têm preguiça de  escovar os dentes. Esquecem na maior parte das vezes do fio dental. A retenção de restos alimentares entre os dentes forma a placa bacteriana, e pode causar problema gengival (Gengivite), formação de tártaro e mau hálito.

Uma vez que a higiene bucal dos adolescentes não é satisfatória, a placa bacteriana somente é removida por completo por meio de uma limpeza profissional no consultório. Nestes casos, o paciente precisa retornar conforme a sua necessidade com retornos mais frequentes (mensal, e trimestral).

Estamos preparados para saber lidar com questões relacionadas ao adolescente como:
  • sua conduta (ansiedade, depressão, timidez, bullying); 
  • falta de paciência para higienização bucal; 
  • distúrbios alimentares (anorexia, bulimia, obesidade, erosões ácidas);
  • drogas (cafeína, álcool, antidepressivos); 
  • modificações corporais (piercing, tatuagem).;

O modo de falar com eles é essencial para que se ganhe sua confiança e, assim, para que se possa atuar com procedimentos direcionados para a formação de uma geração saudável.

Orientação e atendimento de gestantes

   O atendimento às gestantes tem como objetivo elucidar algumas dúvidas da futura mamãe: principais problemas bucais,dieta da gestante e do bebê,fases dos desenvolvimentos dos dentes do bebe,desenvolvimento do paladar do bebê, limpeza oral de bebês,preparo do seio para amamentação, uso do flúor,amamentação, uso de chupeta,outros hábitos como chupar dedo e mamadeiras, cárie de mamadeira e pré-natal odontológico.

    Na maioria dos casos, as gestantes, aumentam a acidez bucal junto com a frequência em se alimentar, principalmente comendo doces e se descuidando da saúde oral. Caso haja necessidade de realizar algum tratamento de dentes ou gengivas, será realizado entre o quarto e sexto mês e pode ser aplicado o anestésico lidocaína.

Periodontia

É a especialidade da odontologia que cuida das doenças da gengiva. Elas se manifestam através de ardência, coceira, mau hálito, mobilidade dental e sangramento, Estas alterações poderão levar à perda de seus dentes, bem como complicações em sua saúde geral.
Problemas do periodonto são classificados em dois tipos:

Gengivite

A Gengivite pode ser entendida como uma resposta inflamatória do organismo frente à ação das bactérias da placa bacteriana. Atinge somente a gengiva, sendo reversível quando tratada. Deixa a gengiva avermelhada e nos piores casos sangrando durante a escovação. Outro sintoma de doença é o recuo ou retração da gengiva, conferindo aos dentes uma aparência alongada gerando sensibilidade. A doença gengival pode formar bolsas entre os dentes e a gengiva, onde se acumulam restos de comida e placa. Algumas pessoas têm mau hálito frequente ou sentem gosto ruim na boca, mesmo se a doença Não estiver em estágio avançado.

A causa direta da doença é a placa - uma película viscosa e incolor de bactérias que se forma, de maneira constante, nos dentes e na gengiva.

Se a placa não for removida por meio da escovação e do uso de fio dental diários, ela produz toxinas (ácidos) que irritam a mucosa da gengiva, causando a gengivite. Neste estágio inicial da doença gengival, os danos podem ser revertidos, uma vez que o osso e o tecido conjuntivo que segura os dentes no lugar ainda não foram atingidos. Entretanto, se a gengivite não for tratada, ela pode evoluir para uma periodontite e causar danos permanentes aos dentes.

Periodontite

A Periodontite é a evolução da gengivite. Apresenta um quadro de inflamação dos tecidos que sustentam o dente no alvéolo (osso) seguida de destruição destes tecidos, podendo levar à perda do dente.

Sinais e os sintomas da doença periodontal:

  • Sangramento gengival - geralmente ocorre na maioria dos pacientes, porém pode ser considerado como indicador da gengivite (inflamação inicial);
  • Edema gengival (inchaço)
  • Alteração da cor da gengiva (vermelhidão)
  • Mobilidade dos dentes;
  • Afastamento e movimentação dos dentes;
  • Halitose - pode ser de origem bucal ou não;
  • Sensibilidade radicular;
  • Perda óssea - diagnosticada através de exames radiológicos;
  • Retração gengival e exposição radicular;
  • Não existe relação direta com a idade do paciente;
  • Ausência de dor.

Palestras e atividades para escolas, berçarios e postos de saúde

  Temos o projeto perfeito para sua escola ter um diferencial para os pais e alunos adquirir hábitos saudáveis por toda vida!

  Nossos cursos são direcionados também para educadores e agentes que almejam aprimorar suas técnicas e aumentar seu conhecimento.


Realizamos palestras para crianças de todas as idades e adultos (temas a escolher), atividades lúdicas, apresentação de teatro, escovódromo.


Os interessados favor entrarem em contato para maiores informações.